Porque o mais provável é ninguem ligar ao que tens a dizer...

sexta-feira, dezembro 14, 2007

“Sicko”




Um dia destes fui ao cinema ver o documentário, do agitador e sempre polémico, Michael Moore. “Sicko” foi o seu mais recente contributo. Confesso que não faço parte da legião de fãs deste senhor, como parece que há muitos, ainda que quase todos fora dos “States”. Mas ainda assim, decidi ir ver o documentário sobre o sistema de saúde no país das oportunidades, e ver como são tratados os seguidores do “American Dream”.

Não foi de todo uma surpresa constatar o que há muito já sabia ser uma realidade naquele país, contudo não posso deixar de admitir que também fiquei perplexa com determinadas cenas do documentário. Chocada mas não admirada de todo, visto não ser do meu total desconhecimento o que era retratado no documentário.
Como se sabe nos Estados Unidos da América, quem tem poder económico recorre ás seguradoras fazendo seguros de saúde, pois o sistema socialista de saúde não é uma realidade naquele país. Deste modo, quem “pode” tem acesso à saúde, quem “não pode” que se amanhe da melhor forma possível, ou então morre…
Nós europeus, em especial os portugueses que são sempre muito críticos relativamente à morosidade do sistema de saúde assente no modelo socialista, têm a ideia de que um sistema como o norte-americano é mais eficiente, ainda que menos equitativo. Por cá pagam uns pelos outros, num sistema progressivo de impostos, onde descontam mais aqueles que mais ganham, numa perspectiva de ajudar quem “pode” menos, mas permitindo o acesso à saúde a todos os cidadãos. Pessoalmente gosto do modelo de sistema socialista no que concerne à saúde, mas sou deveras crítica quanto à sua gestão. Quanto a mim o problema reside nas péssimas gestões e não no modelo de sistema de saúde, a falta de eficiência que é patente e que se tem tentado colmatar voltando-nos para a gestão privada é mera ilusão.

Uma das cenas do documentário que creio ter-me chocado foi quando um senhor acidentado, onde perdera dois dedos da mão teve que optar por qual dos dedos gostaria de implantar, uma vez que o seu seguro não cobria as despesas da cirurgia para implantar os dois dedos. Sendo que a escolha recaiu sobre o dedo mais “barato”, onde ironicamente se referiu que a decisão de escolher o dedo anelar foi por querer manter a aliança do casamento, como se tivesse tratado de uma decisão romântica e não económica.
A propósito desta situação Michael Moore contava esta história nos outros lugares onde foi investigar e conhecer a realidade dos sistemas de saúde fora dos Estados Unidos. A reacção das pessoas em países como o Canadá, Inglaterra e França, foi a de perplexidade e riso porque jamais lhes passaria pela cabeça que tal pudesse acontecer fosse em que país fosse. A maioria reagiu como se estivesse num programa de apanhados, pois era demasiado surreal para ser verdade.

O maior problema no meu entender, e aqui é que entra a minha perplexidade e ignorância quanto ao assunto, foi a consternação de verificar que afinal nem mesmo aqueles que têm poder económico para criar seguros de saúde, são respeitados pelas seguradoras norte-americanas. A realidade é surreal…
Como um negócio lucrativo e sem o mínimo de ética, é com absoluto desrespeito que as seguradoras prosperam o seu negócio. Fazer da saúde um negócio, eis uma realidade na qual não gostaria de viver. A perversidade e injustiça a que as pessoas são sujeitas por parte das seguradoras, sem o mínimo de protecção, é arrepiante. Porque afinal não basta ter poder económico para criar seguros de saúde, pois estes também não são uma garantia.

É certo que não há sistemas perfeitos, garantir o acesso à saúde a todos os cidadãos deveria ser uma garantia universal e não uma característica de certos modelos de saúde.
É para mim inconcebível imaginar cenas como estar deitada à porta de um hospital, onde não me vêm assistir porque o meu seguro de saúde não cobre as despesas e porque se me prestarem auxilio tal representará uma despesa para o hospital. Esta é basicamente a realidade no país das oportunidades!

Aconselho vivamente que vejam o documentário.

8 Comments:

Anonymous AhPoisET! said...

"Aconselho vivamente que vejam o documentário."
Na cidade onde tudo acontece (aka lisbaua) onde é que podemos ver o filme? :P Se calhar, na Madeira, tal como no Continente (para quem não foi expedito) temos de esperar pelo lançamento do DVD!
De que vale a pena ter tudo na cidade se não há divulgação suficiente ou paciência para que as pessoas usufruam!!! :P

Saudações!

17/12/07 06:49

 
Blogger MB said...

para que esperar pelo dvd... já vi o filme há uns meses "a la Paulo Portas". Mas infelizmente há filmes que pelo potencial público restrito em termos de ganhos económicos nunca estreiam na Madeira, temos mais salas ,mas apresentam os mesmos filmes ao mesmo tempo. Como sempre, quantidade não foi sinónimo de qualidade. O que vaale é que ainda vão existindo iniciativas, ainda que esporádicas, como o Festival de cinema do Funchal, que trás à região filmes que de outra maneira nunca teria oportunidade de ver. Outra iniciativa a saudar é a da Casa das Mudas que um fim-de-semana por mês estreia na região um filme com o selo da distribuidora Atalanta. É pouco, mas já é um esforço. Que venham mais iniciativas!!

17/12/07 16:36

 
Anonymous AhPoisET! said...

o q é ver o filme "a la paulo portas"? :P
Gostei de saber sobrea iniciativa da casa das mudas :)

18/12/07 06:41

 
Anonymous PSD said...

PS: Já sou doutor(zinho)! :)

18/12/07 07:02

 
Blogger MB said...

Então não sabe que o Paulo Portas é adepto da pirataria informática? até fez publicidade disso na sua crónica da visão, ou foi da sábado ja nem sei bem, a fazer a critica do filme bourne ultimatum que admitiu ter arranjado por portas e travessas antes da estreia em portugal...

18/12/07 14:49

 
Blogger stanica said...

Parabéns Sr.Jurista/advogado estagiário!!! ;P Dia 17 de Dezembro 2007, um dia para não esquecer. Bom retorno à Ilha... Wish U the BEST! ;)

18/12/07 18:20

 
Blogger stanica said...

É verdade, não resististe em deixar um "marco" no blog... "PSD"?!?! "PUTO DÁ-LHE, PUTO ACELERA"... ;P

18/12/07 18:22

 
Anonymous AhPoisEt! said...

era só p contrapor c o ps :P

19/12/07 02:21

 

Enviar um comentário

<< Home

 
Free Web Site Counter
Hit Counter