Porque o mais provável é ninguem ligar ao que tens a dizer...

terça-feira, outubro 30, 2007

Incongruências…



Os Direitos Humanos são uma temática à qual dedico algum do meu tempo, uma vez que considero que são de extrema relevância. É com muito pesar que à medida que vou dedicando o meu tempo a informar-me e a estudar sobre este assunto, que o desânimo invade o meu sistema. Certas temáticas existem, cujas motivações de actuação não deviam de ser movidas pelo interesse político, tais como os Direitos Humanos. Mas como em quase tudo, seja a nível nacional ou internacional a política impera e tem muitas incongruências.

A última delas foi a do primeiro-ministro inglês Gordon Brown que muito prontamente decidiu não participar na Cimeira União Europeia-África em virtude da participação do presidente do Zimbabwe, Robert Mugabe. Todavia, Abdullah rei da Arábia Saudita foi muito bem recebido em Londres, onde irá, eventualmente e muito provavelmente, desfilar por Londres na carruagem de sua Majestade desfrutando a companhia da mesma bem como do actual primeiro-ministro. Convenhamos que há aqui um nítido tratamento distinto a dois homens que são conhecidos por estarem à frente dos seus países como violadores dos Direitos Humanos.
É claro que a pobreza de recursos de um não faz tremer a economia mundial em face dos poços de petróleo que o outro tem, mas ainda assim pede-se maior coerência de um país como a Inglaterra.
Ambos os regimes são conhecidos e reprimidos por terem regimes com violações clamorosas e brutais no que concerne ao respeito, ou melhor, desrespeito pelos Direitos Humanos. Contudo, enquanto se recebe um com as honras de sua Majestade e primeiro-ministro com direito a desfile numa das capitais mais importantes do nosso século, ao outro recusa-se, veementemente, sentar na mesma mesa de negociações, assim como a recusa da companhia aérea “British Airways” de voar para Harare.
Eu só gostava que as pessoas fossem politicamente mais sérias! UTOPIA… eu sei! No entanto, não me resigno!

sexta-feira, outubro 26, 2007

Relatório da Inspecção Administrativa e Financeira ao Municipio do Funchal 2003-2004




Esta disponivel aqui, o controverso relatório de inspecção à Câmara Municipal do Funchal. Uma leitura que recomendo a todos, para perceberem com que fios se tecem as teias de interesses, favorecimentos e compadrios. Se em alguns dos factos analisados nota-se puro laxismo na maneira de actuar das entidades camarárias, outros consubstanciam ilegalidades gritantes. Uma rol de atropelos a lei que deixariam orgulhoso qualquer Presidente de Câmara do eixo Gondomar-Marco de Canavezes.

Segundo a Wikipédia: "corrupção política significa o uso ilegal - por parte de governantes, funcionários públicos e agentes privados - do poder político e financeiro de organismos ou agências governamentais com o objectivo de transferir renda pública ou privada de maneira criminosa para determinados indivíduos ou grupos de indivíduos ligados por quaisquer laços de interesse comum" Leiam e julguem por vocês mesmos....

sábado, outubro 13, 2007

“ Pela Boca Morre o Peixe”


João Pombeiro editor da Noticias Sábado, licenciado em comunicação social, lançou o livro “Pela Boca Morre o Peixe”. O livro tem várias passagens dos políticos portugueses (algumas mais actuais do que outras, visto que menciona alguns políticos dos quais não me recordo por virtude da minha idade), sendo que algumas delas inesquecíveis e bem presentes na memória do público de tão hilariantes que são. O livro é composto por imensas citações dos políticos portugueses que vão desde congressos, entrevistas e comícios. Sendo que o autor contextualiza o leitor das citações, que foi compilando por diversos meios ao longo dos anos, e que originaram este livro. Aconselho vivamente a sua leitura, especialmente antes de se deitarem, porque irão para a cama deveras bem dispostos. É dedicado um capítulo inteiro a Alberto João Jardim, como podem imaginar! Repito que vale a pena lê-lo porque põe qualquer pessoa sorridente.
Fica a sugestão.

sexta-feira, outubro 12, 2007

De Presidente para Primeiro-Ministro?



Vladimir Putin actual presidente russo, parece não querer sair do Kremlin de maneira nenhuma!
Na convenção do partido Rússia Unida, Putin disse aos deputados presentes que era "grato" pela proposta de encabeçar a lista eleitoral desse mesmo partido.
Portanto, tentando perceber melhor as intenções de Putin, parece-me que candidatando-se ao cargo de primeiro-ministro, este está convicto de que vai ganhar as eleições, uma vez que não consigo imaginá-lo a tomar tamanha decisão sem a convicção de uma vitória. Contudo, e como é sabido, nos sistemas presidencialistas o cargo de primeiro-ministro tem pouca relevância face ao papel do presidente. A minha questão é, será que iremos assistir a uma reviravolta do sistema político russo com esta candidatura? Tornando a gestão do primeiro-ministro mais relevante que a do presidente? Pois, não creio que Putin queira assumir menor destaque e ter um papel de menor relevância na vida política do país.
Esta, é sem dúvida, uma forma de contornar a impossibilidade de dar continuidade à política de Putin, e com a qual já se esperava (designadamente nos EUA e até mesmo na UE) uma ruptura. O que significa que todos aqueles que viviam na esperança de que a orientação da Rússia mudasse, deixem de “sonhar”! O homem é absolutamente maquiavélico, “os meios justificam os fins” no seu mais alto significado!
O seu grande argumento será a democracia. Jamais poderá ser acusado pelos outros Estados e seus opositores, nesta manobra política, de falta de democracia, se for legitimamente eleito para este cargo, até porque é incrivelmente popular entre os seus patriotas.

Dá que pensar…

E uma vez mais “ressuscita”…

Há coisas curiosas. Pelo menos eu considero curioso, a capacidade que alguns políticos têm em “ressuscitar”. Santana Lopes é o exemplo vivo do político que “morre” mas “ressuscita” sempre!
Desde a sua presidência no Sporting Clube de Portugal, à sua passagem pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, pela Câmara Municipal de Lisboa e pelo Governo enquanto primeiro-ministro, foi sempre uma figura de destaque, sempre envolvido em grandes polémicas.
Político de profissão, aliás, demagogo de profissão assim prefiro denominá-lo, por onde quer que passe deixa sempre um marco, e muito trabalho para os seus sucessores. Concordemos ou não com a sua maneira de estar na política, há que reconhecer que o senhor é persistente. Agora surge, possivelmente, como secretário-geral do maior partido da oposição. Claro que lá está que o convite só poderia surgir de um político da sua mesma linhagem! Menezes, recém-chegado à presidência do partido, poderá convidar Santana à liderança da bancada parlamentar do partido. Confesso que se tal vier a verificar-se passarei a ver mais atentamente o canal Parlamento, porque será, com certeza, uma paródia assistir aos debates parlamentares. É verdade que esta maioria absoluta do Governo actual tornou São Bento mais entediante, Marques Mendes não dava tanta “vida” àquela bancada, mas com Santana as coisas serão mais emocionantes! Talvez esta seja a estratégia de Menezes, que desde que foi eleito nos seus discursos os vocábulos “transparência”, “honestidade” e “eficiência” são uma constante. E nada melhor do que com base nesses princípios, que tanto tem salientado nos seus discursos, nomear um líder parlamentar que é nacionalmente conhecido por representá-los melhor do que ninguém!

Agora só me resta esperar, para ver até onde irá esta odisseia política do maior partido da oposição…
Todavia, há algo que me preocupa! Se dentro do partido foram capazes de eleger Menezes, alguém acha que os portugueses seriam capazes de tamanha insanidade? Espero que não…

quinta-feira, outubro 11, 2007

Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra

">

Uma outra vertente de Kusturica...

segunda-feira, outubro 01, 2007

Paradoxos

Há coisas que não percebo... Há quem sirva para presidente de uma comissão mas não serve para uma vice-presidência da Assembleia... se a maioria viabiliza uma coisa porque inviabiliza a outra? Vou fingir que não sei a resposta...

 
Free Web Site Counter
Hit Counter