Porque o mais provável é ninguem ligar ao que tens a dizer...

segunda-feira, julho 30, 2007

Está a chegar aquela altura do ano de novo....


7 Comments:

Blogger BaBy_BoY_sWiM said...

Férias... Até o nosso líder merece! :D

30/7/07 19:38

 
Blogger il _messaggero said...

...só falta acrescentares:

"...num Areal perto si."

31/7/07 20:31

 
Blogger BarreteDeOrelhas said...

Epah MB, tudo bem que o tema é actual e pertinente... e a imagem tem muita piada... mas já é repetida... já a colocaste no passado.

Reparem que ao contrario do camarada MB nosso querido AJJ vai arranjando sempre novas formas de atrair as atenções... pelo menos não se repete!! :P E cada vez que pensámos que ele não pode ir mais além...

31/7/07 20:57

 
Blogger MB said...

O homem não se repete? Não ouviste a palavra do senhor no Chão da Lagoa? há 30 anos a se repetir... sempre podes encarar encarar este post como uma alegoria do eterno retorno de Nietzche.... estaremos irremediavelmente condenados a impossibilidade de alteração da ordem das coisas?

1/8/07 09:56

 
Blogger amsf said...

Não se repete ou é o cidadão comum que tem memória curta!?

1/8/07 17:37

 
Anonymous Anónimo said...

A manchete de hoje do Diario tem quase um ano. Foi desenterrada (como há dias a auditora das sociedades de desenvolvimento) porque, na guerra de delfins, o Diario quer apontar irregularidades a Cunha Silva para esquecer as "negociatas" de Miguel Albuquerque. é este o jornalismo independente (?) que temos.

Eis a noticai então publicada pelo Diario no início do ano, quando os outros OCS divulgaram também o relatorio do TC:

" Auditoria do TC à Madeira Parques revela falta de controlo e orientação
Na auditoria, o Tribunal de Contas recomenda à empresa que limite o recurso à empreitada de concepção e construção
Em 2005, os estudos de viabilidade económica dos projectos promovidos pela Madeira Parques eram "pouco sustentados".
Data: 18-01-2007

Limites no recurso à empreitada de concepção e construção e melhorias no sistema de controlo interno são duas das recomendações da auditoria do Tribunal de Contas à Madeira Parques (MPE). A avaliação refere-se ao ano económico de 2005, altura em que apenas três dos parques empresariais da MPE tinham empresas a laborar.

De acordo com o relatório da auditoria, ontem disponibilizado no site do Tribunal de Contas (TC), foram encontradas algumas irregularidades no modo de actuação da Madeira Parques durante 2005. De tal modo que, a começar, a secção regional do TC entende que a MPE deve tomar medidas de modo a melhorar o sistema de controlo interno. E que deve começar por "um maior cuidado e rigor das actas de reunião" do conselho de administração. Isto porque, na auditoria, o TC deparou-se com a "ausência de orientações, normas ou procedimentos escritos de âmbito genérico reguladores da MPE". Foram encontradas algumas debilidades no acompanhamento e verificação dos processos e documentos. A falta de controlo e orientação não foi, no entanto, o único reparo. A pouca sustentação dos estudos de viabilidade económica dos projectos da Madeira Parques também chamou a atenção do Tribunal de Contas.

Estes estudos foram pouco sustentados, já que, segundo reza o relatório da auditoria, "as previsões neles delineadas foram largamente ultrapassadas, quer no que se refere ao período de execução quer no custo global dos investimentos". Além disso, nenhum teve em conta as necessidades do mercado, nem apresentou "uma aproximação da procura estimada". O certo é que, no fim de 2005, dos dez parques construídos pela Madeira Parques apenas três tinham empresas a laborar. Na altura, o volume de investimentos com empreitadas e aquisição de terrenos chegava já aos 40,5 milhões de euros. Os parques do Porto Santo, da Camacha e de Machico estavam a funcionar, mas nem por isso o Tribunal de Contas deixou de reparar na falta de estudos de avaliação prévia relativamente à localização, à dimensão e à operacionalidade dos parques. Razões para que peça "planificação consistente e sustentada".

As cautelas com o recurso à modalidade de empreitada de concepção e construção estão entre as recomendações ao funcionamento da MPE. Todos os concursos públicos abertos pela empresa foram de concepção e construção. "Isto sem que tivesse ficado demonstrada a verificação das condições legais que jusitificam e admitem a sua adopção". É por isso que o relatório da auditoria recomenda limites no "recurso à modalidade da empreitada de concepção e construção", deixando-a apenas para o que está previsto por lei. O Tribunal de Contas também pede que, daqui por diante, a Madeira Parques Empresariais "observe, de forma rigorosa e transparente, os procedimentos de adjudicação consagrados na legislação vigente, com destaque para as normas que definem a escolha de procedimentos".

Marta Caires

27/8/07 10:35

 
Blogger stanica said...

EU VI!!!!!!!!!!!!!!!

Decorridos 10 anos após a minha última visita ao Porto Santo, decidi regressar à Ilha Dourada. Uma década pareceu-me tempo bastante afastada do único concelho madeirense que não integra físicamente a Ilha da Madeira.

Estava eu, como quase todo o turista, no pontão quando vejo um grupo a caminhar em passo apressado pelo areal dourado. Em pouco tempo me apercebi que era o grupo "the Sopranos" na versão madeirense. Desta vez e contrariando a fotografia, o boné do "Chefe" era de um laranja garrido que até feria a vista! Propositado ou não, é certo que o laranja não passava despercebido a ninguém!
Por isso EU VI!!!!!!!!!!!! ;)

28/8/07 21:20

 

Enviar um comentário

<< Home

 
Free Web Site Counter
Hit Counter