Porque o mais provável é ninguem ligar ao que tens a dizer...

segunda-feira, outubro 24, 2005

A "VINDICTA"

Começou o julgamento de um dos maiores ditadores do Mundo, Saddam Hussein ex-presidente do Iraque que liderou um regime autoritário durante 24 anos.
Apesar de já ter sido deposto o senhor continua a portar-se como o legítimo líder daquele país, invocando a sua inocência mediante os crimes de que é acusado. Recusando-se veementemente a responder ás questões que lhe colocam no Tribunal. Uma das perguntas que lhe fizeram foi como se chama. Ao qual este recusou responder por considerar que o Tribunal sabia a sua identidade e quem é que ele era: "Saddam Hussein Presidente do Iraque e não reconheço legitimidade a este Tribunal!".

Um homem de seu nome Amin é um dos juízes que julga este caso, sendo o único cuja identiade é conhecida. Curiosamente o Juíz é curdo, cuja etnia foi alvo de uma limpeza étnica. Uma dessas "limpezas" tirou no dia, após ataque de gás venenoso, 16 de Março de 1988 a vida a 500 residentes de uma cidade curda. Ironia do destino?

O que é certo é que na sua maioria a população pede a execução do ditador. Pena de morte é a palavra de ordem quando se fala no julgamento de Saddam.
Esta a "vindicta" que a população pede, de modo a suprir o sofrimento causado durante o regime, pela morte dos seus familiares, pela tortura, pelos crimes horrendos praticados pelo mesmo.

Mas e a questão é: resolverá alguma coisa a pena de morte? Atenuará o sofrimento daqueles que perderam os seus entes queridos e amigos?
Numa perspctiva muito pessoal, não creio que a pena de morte resolverá seja lá o que for, não atenuará a dor sentida por quem sofreu na pele os Horrores de Saddam, isto sem querer minimizar a dor que aquelas pessoas sentiram e ainda sentem.
Não será maior castigo e haverá maior humilhação do que aquela pela qual está a passar?
Para além de ter sido deposto, foi preso perdendo as regalias a que esteve habituado. Habituado a mandar está agora confinado ás quatro paredes de uma cela sem qualquer tipo de tratamento especial. Para além de que está a ser julgado por um Juíz curdo.

Já notei, contudo, que sempre que um ditador é apanhado a vingança de quem sofreu é querer mata-lo e assim invocar Justiça em nome dos que não o podem pessoalmente fazer! Mas se condenamos por matar, teremos "nós" o direito de matar? Não creio...

Não acredito na pena de morte como castigo. O Direito é feito por homens comuns com base em determinados valores, valores esses que nos ensinam que a Vida é sagrada e inviolável. Daí não poder-se através da via legal tirar-se a Vida seja lá a quem for, por mais horrendos que tenham sido os crimes praticados. O sistemas que permitem a pena de morte caem numa profunda contradição porque ora tutelam a Vida, mas depois "tiraram-na" como castigo a aplicar.

 
Free Web Site Counter
Hit Counter