Porque o mais provável é ninguem ligar ao que tens a dizer...

segunda-feira, outubro 24, 2005

A "VINDICTA"

Começou o julgamento de um dos maiores ditadores do Mundo, Saddam Hussein ex-presidente do Iraque que liderou um regime autoritário durante 24 anos.
Apesar de já ter sido deposto o senhor continua a portar-se como o legítimo líder daquele país, invocando a sua inocência mediante os crimes de que é acusado. Recusando-se veementemente a responder ás questões que lhe colocam no Tribunal. Uma das perguntas que lhe fizeram foi como se chama. Ao qual este recusou responder por considerar que o Tribunal sabia a sua identidade e quem é que ele era: "Saddam Hussein Presidente do Iraque e não reconheço legitimidade a este Tribunal!".

Um homem de seu nome Amin é um dos juízes que julga este caso, sendo o único cuja identiade é conhecida. Curiosamente o Juíz é curdo, cuja etnia foi alvo de uma limpeza étnica. Uma dessas "limpezas" tirou no dia, após ataque de gás venenoso, 16 de Março de 1988 a vida a 500 residentes de uma cidade curda. Ironia do destino?

O que é certo é que na sua maioria a população pede a execução do ditador. Pena de morte é a palavra de ordem quando se fala no julgamento de Saddam.
Esta a "vindicta" que a população pede, de modo a suprir o sofrimento causado durante o regime, pela morte dos seus familiares, pela tortura, pelos crimes horrendos praticados pelo mesmo.

Mas e a questão é: resolverá alguma coisa a pena de morte? Atenuará o sofrimento daqueles que perderam os seus entes queridos e amigos?
Numa perspctiva muito pessoal, não creio que a pena de morte resolverá seja lá o que for, não atenuará a dor sentida por quem sofreu na pele os Horrores de Saddam, isto sem querer minimizar a dor que aquelas pessoas sentiram e ainda sentem.
Não será maior castigo e haverá maior humilhação do que aquela pela qual está a passar?
Para além de ter sido deposto, foi preso perdendo as regalias a que esteve habituado. Habituado a mandar está agora confinado ás quatro paredes de uma cela sem qualquer tipo de tratamento especial. Para além de que está a ser julgado por um Juíz curdo.

Já notei, contudo, que sempre que um ditador é apanhado a vingança de quem sofreu é querer mata-lo e assim invocar Justiça em nome dos que não o podem pessoalmente fazer! Mas se condenamos por matar, teremos "nós" o direito de matar? Não creio...

Não acredito na pena de morte como castigo. O Direito é feito por homens comuns com base em determinados valores, valores esses que nos ensinam que a Vida é sagrada e inviolável. Daí não poder-se através da via legal tirar-se a Vida seja lá a quem for, por mais horrendos que tenham sido os crimes praticados. O sistemas que permitem a pena de morte caem numa profunda contradição porque ora tutelam a Vida, mas depois "tiraram-na" como castigo a aplicar.

sexta-feira, outubro 14, 2005

Já diziam os outros: "11 a zero"

"11 a zero", nem mais. O tão previsivel resultado das eleições na Região autónoma da Madeira. Eu bem que esperei por um milagre, mas não aconteceu! Paciência...
Fica para as próximas eleições autarquicas, pode ser que se faça Luz em algumas "mentes menos iluminadas".
Nothing more to say!

segunda-feira, outubro 10, 2005

Para inicio de século...

O século XXI tem sido "atribulado". Uma série de acontecimentos dos mais variados tipos têm marcado este inicio de século.
Recordo-me dos atentados a Nova Iorque no célebre 11 de Setembro. Os atentados a Londres e Madrid; O Tsunami no sudeste asiático; O Papa João Paulo II morreu; Os Furacões nos E.U.A ( sendo o mais devastador: Katrina); O alargamento da U.E para 25 estados-membros; Os incêndios que assolaram o nosso Portugal; Casos de pedofilia por todo o mundo; retirada da Faixa de Gaza dos colonatos judeus; Saddam foi capturado;
Por agora não me lembro de mais, mas convenhamos que para inicio de século muita coisa tem acontecido!

 
Free Web Site Counter
Hit Counter