Porque o mais provável é ninguem ligar ao que tens a dizer...

terça-feira, maio 24, 2005

Ninguém para o BENFICA...

Como nenhum Benfiquista se dignou ainda a dar os PARABÉNS, e como considero fundamental que se registe o acontecimento no Blog aqui vai: BENFICA CAMPEÃO NACIONAL 2004/2OO5!!! Depois de 11 anos de espera...
Reina a euforia por Portugal afora, desde o continente ás ilhas a festa continua e continuará se, porventura, ganharmos a Taça de Portugal, fazendo desse modo a tão aguardada "dobradinha".
Creio que não será necessário aludir a acontecimentos especificamente até porque nos Media não se fala de outra coisa.
Por isso queria mesmo só registar o acontecimento! Parabéns ao Sport Lisboa e Benfica!

terça-feira, maio 17, 2005

Uma noite surreal na cidade do surrealismo-Barcelona!

Há ideias que por mais insensatas que possam parecer acabam por resultar em experiências inesqueciveis. A ideia insensata deste fim-de-semana foi atravessar a penísula Ibérica desde o Porto até Tarragona para assistir à Final Four a Liga dos Campeões em hóquei em patins e a experiência inesquecivel, assistir in loco à festa do titulo do Barça Em plenas Ramblas! Confesso que pouco vi da cidade numa noite e um dia, mas a nivel humano vi Barcelona como poucos tiveram o privilégio de a ver. Os sentimentos nacionalistas estavam ao rubro, mais que uma vitória desportiva de um clube foi a vitória de toda a nação catalã! Addorei o ambiente descontraido e a simpatia das pessoas, duvido que exista povo em Espanha mais simpático que os catalães. Claro que o que vi não me pode servir de amostra, afinal encontrei a cidade numa noite completamente anómica, mas a vontade de voltar brevemente ficou. Digamos que me deram um daqueles papelinhos com perfume que me fez desejar comprar o frasco inteiro.
Mas o melhor da noite foi o fim da festa pois tive o privilégio de assistir ao despontar de uma mob, esse organismo composto por milhares de pessoas, com vontade própria onde o inividual é completamente anulado. Tudo começou com alguém a agitar uma bandeira de Espanha da janela de um Hostal em plenas Ramblas. De imediato começaram a chover garrafas em direcção à janela, daí até surgirem dezenas de carrinhas de policia de choque foi uma questão de segundos. Claro que a histeria aumentou e toda a raiva foi direccionada para esse novo alvo, representante do poder central. Caixotes do lixo a arder, cabines telefónicas completamente destruidas e uma chuva de garrafas inesquecível.... A policia carregou em cima da mob e esta acabou por perder a força, mas apesar de ferida de morte ainda alguns dos seus tentáculos resistiam, num jogo de gato e do rato com a policia. Nesta altura achei por bem afastar-me das Ramblas pois os bastões pareciam estar cegos. Em menos de uma hora as Ramblas ficaram desertas, só as prostitutas resistiam na esperança que o calor da festa se traduzisse noutros calores. Só sei que acabei a noite a dormir numa caixa multibanco pois o carro estava demasiado longe, junto ao museu da ciência. De manhã atravessamos a cidade a pé desde o porto até ao museu. Só aí é que vi um pouco da cidade fisíca, e as sua magnífica e surreal arquitectura. Ficou a ânsia de voltar e ver tudo com mais tempo. Espero encontrar a mesma simpatia e descontração, que não tenha sido tudo apenas resultado da alegria da vitória e acredito mesmo que não tenha sido! BISCA BARCELONA, BISCA CATALUNYA!

quarta-feira, maio 11, 2005

Fear and Loathing in Oporto

Sei que prometi participar com regularidade mas que falhei redondamente, mas enfim, tenho uma desculpa, estive noutro planeta... ou pelo menos é essa a sensação que tenho. Estive uma semana completamente alheado do que me rodeia. Posso dizer que na semana passada o mundo passou-me ao lado.
Geralmente, quando vamos de férias, perdemos o contacto com a realidade do nosso país, mas por mais longe que estejamos os acontecimentos globais chegam até nós. Acredito que mesmo que estivesse no canto mais recôndito da Papua Nova Guiné a noticia da morte do Papa havia de chegar até mim... O que se passou é que, mesmo sem sair de Portugal, isolei-me do mundo, não vi televisão, não li jornais, nada de internet, o meu dia virou noite e a noite fez-se dia. Em resumo, estive na Queima das fitas do Porto.
Para quem não percebe o conceito, ou para quem só cá vem fazer a visita de médico: a queima é um espaço fisico e temporal de supressão da normalidade, onde durante uma semana (nocturna!) comungamos com o próximo, num ritual étilico, na busca do nosso verdadeiro "EU"! Em palavras simples, passas uma semana a ver o sol só quando nasce, caminhando sobre a fina fronteira que separa o "bon vivant" do álcoolico crónico. Uma semana em que tomar o pequeno almoço às oito da noite e jantar às oito da manhã ( de preferência alguma coisa cheia de molhos na roulote mais infecta das redondezas) é normal, e onde ter uma taxa de alcoolémia inferior a 0,5 é crime!
Outro aspecto essencial da queima, nenhuma relação interpessoal sai incólume... é normal quando passas oito noites a beber com as mesmas pessoas, o álcool liberta o espirito e solta a língua, o cinismo não existe numa queima, principalmente se for a última. Fortalecem-se relações e acabam-se relações, meses e anos de guerra fria esfumam-se ao décimo copo. Neste aspecto ir á queima é um pouco como viajar, dizem que não há nada como ir de férias com alguém para conhecer essa pessoa realmente. De um ponto dde vista sociológico, saímos do que Goffman chama de região de bastidores e vamos para a fachada, sem guião, sem máscaras... O verdadeiro "EU" liberto pelos vapores etílicos.
O problema é que a semana chega ao fim... Acordas no Domingo à noite e não tens para onde ir... Um sentimento de culpa instala-se, apercebes-te que o mundo não parou enquanto o puseste em espera, os exames aproximam-se, a data de entrega do teu seminário pende sobre ti como a espada de Democles e a tua mesada esfumou-se em poucos dias... Parece que uma semana perdida foi um mês! É o que eu chamo de "sínrome pós-queima". A única coisa de útil que fizeste foi contribuir para os lucros da Unicer. É então que pensas, " Se calhar devia ter trabalhado um pouco esta semana...". Ehh... ou não!!!

terça-feira, maio 10, 2005

Stress pós-queimátrico

Porque é que mesmo depois de estar bêbado insisti em beber mais aquele copito de absinto??Porque é que gastei quase metade da mesada naquelas duas noites??Será que as minhas excruciantes dores de estômago ou a minha caganeira de 3 dias tem alguma correlação com aqueles cachorros/hamburgueres extras com tudo do Rei dos Hamburgueres??

domingo, maio 08, 2005

O Benfica é mesmo GRANDE!

Miguel Guedes conhecido por integrar uma conhecida Banda portuguesa os Blind Zero, é agora um frequente comentador e costuma escrever para o Publico. O seu último artigo no Publico tinha como título: "Alta Fidelidade", sendo esta uma das passagens: "Basta de susupeição! O árbitro do Penafiel-Benfica é benfiquista. Claro como água, assim vai o futebol português".

A ironia deste senhor é intragável, notando-se que tem uma série de espinhos na garganta pelo facto do Benfica liderar o campeonato. Uma das passagens mais interessantes do seu artigo dizia: "(...) quantos milhões de portugueses não seriam mais alegres e produtivos se o Benfica fosse campeão, quanto cresceria o PIB a partir do golo decisivo de Mantorras, como seria impossivel evitar a recessão económica dos gabinetes de psiquiatria após anos a fio de clientela fixa. (...) Ninguém questionará a subida em flecha da taxa de natalidade (...)".

Aparentemente este senhor descobriu neste parágrafo uma série de soluções para os problemas que tanto afligem o "nosso" Portugal.
Admite que o Benfica é um clube de milhões, o clube da maioria dos portugueses (assim deixamos aquela discussão dos 6 milhões de lado). Quanto aos economistas, podem descansar que ele descobriu como fazer o PIB aumentar. Contudo, levaria os psiquiatras à falência, uma vez que foi descoberto o porquê de tanta depressão! Até os problemas da nossa segurança social serão resolvidos com o aumento da taxa de natalidade. Este senhor descobriu que PORTUGAL É UM PAÍS DE BENFIQUISTAS!!!! Deixem o BENFICA ser campeão e seremos um país próspero e feliz!!!!!!!!

Contudo, e como se viu ontem à noite, o Benfica não ganhou o Penafiel. O resultado foi mesmo 1-o favorável à equipa nortenha. Não vou lamentar-me da arbitragem, apesar de considerar que há pelo menos 1 penalty que não foi assinalado. A exibição da equipa deixou a desejar. Não sei onde é que foi claro como água o sr. Pedro Proença ser benfiquista. Se o é, não o mostrou ontem, apesar de se dizer que este senhor tem "lugar-cativo" no estádio da Luz.

É com este tipo de artigos, e opiniões que temos vindo, permanentemente, a assistir desde que o Benfica lídera o campeonato, é a arma que têm para intimidar. Enfim... a ver vamos!

sábado, maio 07, 2005

Pais ou Assassinos?

Pais violentos parece estar na moda em Portugal. Nos últimos tempos temos assistido a noticias que revelam não só os maus tratos por parte dos pais aos seus filhos, como também ouvimos histórias da mãe que matou a filha, ou da filha jogada ao Rio.

Não é suposto o Lar ser o lugar mais seguro do Mundo só porque os nossos pais estão lá para nos proteger?! O que se passa na cabeça das pessoas com tais atitudes? Será Doença, será Maldade, será Loucura? Não consigo entender, simplesmente não consigo...

A Familia foi desde sempre o lugar por excelência, o espaço que permitia à criança desenvolver-se em todas as vertentes. Todos os aspectos são determinantes, sendo que a familia, diria eu, é o espaço vital do desenvolvimento físico, afectivo, moral e intelectual.

Não sou psicóloga, não tenho nem nunca tive qualquer tipo de formação nessas áreas, mas já fui criança e pretendo ser mãe um dia. Os nossos pais são os alicerçes da nossa identidade, ainda que muitas vezes as coisas não resultem da melhor forma.
Há inúmeras discussões sobre como educar os filhos, cada um tem uma visão diferente sobre o que fazer, como agir face determinadas circunstâncias. Mas independentemente das opiniões quase todos partilham a mesma fórmula, ainda que expressando das mais variadas e diferentes maneiras. Ainda bem que a maioria, acha que a fórmula é composta por Amor, Carinho, Afecto, Dedicação, Paciência, mas também Firmeza e Autoridade nos momentos em que são necessários.

Mas as manifestações de violência para com os filhos são uma realidade efectiva, desde os países mais desenvolvidos ao menos desenvolvidos. São noticia um pouco por todo o mundo, porque acontecem um pouco por todo o lado! Infelizmente...

Coordenador ou Secretário-Geral?!

Há uns meses atrás, houve alguém no Blog que escreveu sobre o Bloco de Esquerda e os resultados que este partido obteve nas últimas eleições. BarreteDeOrelhas foi quem escreveu. Não me recordo do texto na íntegra, mas recordo que falava no facto deste ter sido um passo muito grande para um partido das dimensões do BE. O blogueiro considerava que a estrutura do partido não estaria preparada para os resultados obtidos. Como diz o Povo: dar um passo maior que a perna.

Como se sabe o BE duplicou o seu número de deputados, passando de 3 para 8, tendo sido nomeado para líder parlamentar Luís Fazenda.
Este fim de semana está a realizar-se a IV Convenção Nacional do partido onde uma das propostas será criar um coordenador para o partido. Coordenador, passo a traduzir, que será o secretário-geral do partido.

A moção foi aprovada sem qualquer voto contra. Por isso Francisco Louçã foi nomeado sem qualquer problema o secretário-geral do partido, desculpem o "coordenador"! Parece que o BE como disse um dos dirigentes deste partido, deixou de ser "o partido da esquerda caviar". As dimensões que conseguiram atingir, a forma como se estenderam ás massas tornou-os algo mais que um partido de intelectuais de esquerda.

Desde o inicio que simpatizara com o partido, e com a figura do recente nomeado "coordenador", mas nos últimos tempos o seu discurso sofreu algumas nuances, e permitam-me que diga, mudou para pior. A demagogia e a retórica estão cada vez mais patentes no seu discurso. Não quero com isto dizer que não os considero um partido essencial, mas não era este o rumo que esperava que tomassem.

O que é absolutamente demagógico é virem dizer que criar o cargo de "coordenador" deverá ser entendido como um pivot da comissão política , rejeitando o multiprotagonismos.

Acontece que mesmo dentro do partido já se ouvem algumas vozes críticas, acusando o BE de ser um grupo, ou um círculo estrito de activistas influentes que não dialogam com toda a organização, sendo necessário criar uma cultura de verdadeira democracia participativa no interior do partido.

Se calhar, tinhas razão BarreteDeOrelhas.

segunda-feira, maio 02, 2005

Limitação De Mandatos. Um Conto de Fadas?

Isto vai levantar muita polémica, mas que seria do ser humano se o seu direito opinativo não existisse?Qual seria a piada de viver num mundo onde todos os dias fossem iguais, onde todas as pessoas tivessem a mesma opinião?É o conflito ideológico que nos faz viver, dá-nos força, confiança e aumenta a nossa auto-estima.
Recentemente tive uma discussão com amigos sobre a legitimidade democrática da proposta de limitação de mandatos.Vamos desenvolver primeiro a questão de limite.
Com a Democracia, são garantidos princípios de direito ao povo, liberdade, igualdade e os demais direitos, mas também pressupõe limites, a regulamentação. O excesso de liberdade torna o homem irresponsável, susceptível a vícios e a indefinições de valores e princípios, como a capacidade de discernir entre o que é bom e o que é mau, entre o que é certo e o que é errado. É por isso lógico a criação de um limite.(Importa definir limite - Limitar significa restringir, fixar, cingir) Mas não pensem que o limite nesta discussão tem uma conotação negativa, pois não têm.O limite serve para criar o equilíbrio, serve para ajudar as pessoas a entender que os extremos devem ser evitáveis. A aplicação normativa deve ser vista( e é por todos aqueles que defendem a democracia) como uma espécie de auxílio social, político e económico.
Ora bem, o Governo PS, propõe a limitação de mandatos por um período máximo de 12 anos consecutivos no exercício dos seguintes cargos executivos: Primeiro-Ministro, Presidentes das regiões Autónomas, Presidentes de Câmaras, e Juntas de Freguesia. Concordo em absoluto.
A base argumentativa da criação e aplicação desta lei resume-se à "renovação e à responsabilidade política e a transparência de representação política, além de permitirem combater essa perversão maior da democracia que é a tentação do poder vitalício"Vicente Jorge Silva, DN".
Luís Delgado, compara esta "limitação do poder de escolha" a uma proibição "uma violação de um direito do eleitor e do eleito" Desde quando que a criação de regras para melhorar o sistema é considerada como uma violação de princípios? Vejamos o exemplo: Se um político for eleito para um desses cargos executivos representados na prosposta do PS, e permanecer os 3 anos à frente da lide autárquica ou ministerial, e se nesses 3 anos tiver tido um bom desempenho, será penoso vê-lo sair. Por isso compete ao candidato seguinte a responsabilidade política de perpetuar esse caminho vitorioso. Só assim se promove a competência, só assim se condena os clientelismos e os caciquismos produtos de um vício continuado. A consciência de cada um assim o ditará. É verídico que sob o ponto de vista teórico/ideológico existe um restrição(não uma proibição) sobre os princípios básicos da democracia respeitante ao poder de escolha, mas também é verídico, que do ponto de vista da praxis constitucional não o é, senão vejamos o que diz a nossa Constituição: No artigo 118º, nº1 da Constituição Portuguesa, "Princípio da renovação", passo a citar " Ninguém pode exercer a título vitalício qualquer cargo político de âmbito nacional, regional e local". No nº 2 do mesmo artigo, 118º, diz o seguinte e passo a citar" A lei pode determinar limites á renovação sucessiva de mandatos dos titulares de cargos políticos executivos" Fim de citação. Partindo deste pressuposto, todos os opositores da proposta de limitação de mandatos, que esperneiam a realidade demagoga de que estão em causa princípios básicos da democracia como o poder de escolha. Agora tomem lá que já almoçaram. Se afirmam isso é porque acreditam que a nossa Constituição é anti-democrática. Ela mesma diz que ninguém é insubstituível. E sublinha a necessidade de renovação.O PSD, vinha até à dias insistindo que a proposta era inconstitucional. Jorge Miranda responde: " ...a proposta...não é inconstitucional, ...apesar de ter efeitos retroactivos, não restringe qualquer direito fundamental".
Mas o mais giro vêm agora. Alberto João Jardim, esse dinossauro político mais ancestral que um tyranossaurus rex e mais dócil que um Pterossaurus, afirmou o seguinte e passo a citar: "O governador numa região autónoma, deve ser eleito por sufrágio directo e universal, e por maioria absoluta. Um período de 4 anos pode considerar-se razoável. Mas o princípio de não reeleição é útil porque não faz a governação cair numa rotina perniciosa, nem cultivar o gosto ou o vício pelo poder" (29-12-74 citado no "Tribunal Livre" Ponta Delgada 1995, pp 88,89) A partir desta afirmação e estando atento às suas mais actuais posições políticas, posso claramente dizer que Alberto João mudou de opinião. É indubitável que a criação(temporalmente cobarde)desta lei veio a propósito da comichão no sapato do PS que a autoridade majestática de Alberto João ajudou a promover nestes 27 anos de liderança na Ilha Da Madeira.O punho mata a pulga em 2005 e transforma-se numa rosa!Uma Cinderela à Portuguesa.
Freitas do Amaral mudou de opinião e foi crucificado. Será que a cruz de Alberto João está na "Lei Jardim"(como ele ironicamente costuma chamar à proposta)?
Alberto João Jardim: "Não conseguem ganhar nas urnas, há que ganhar na secretaria". Agora para finalizar, não serão os 27 anos no poder um tipo de centralização de poder?Fica a questão.Disse.

domingo, maio 01, 2005

Um atestado de ignorância!

Tem sido, de alguma forma, falado nos últimos tempos a limitação de mandatos dos presidentes de câmara. E é com algum espanto que constato que a polémica não tem sido muita em torno desta questão.

Pessoalmente considero um tanto estranho tanta passividade por parte dos cidadãos. Quero com isto dizer, que sou absolutamente contra tal medida. Porquê limitar os mandatos? Não faz qualquer sentido, uma vez que a limitação tem que partir por parte dos cidadãos eleitores. O instrumento de limitação é o voto!

Creio que tal medida será passar uma espécie de "atestado de ignorância" aos cidadãos!
O presidente de câmara não é um simples político, digamos que é o político que mais próximo está do seu eleitorado, e onde a obra é mais visível, visto que a sua área de actuação é mais circunscrita. Há autarcas que estão há mais de 5 mandatos nos respectivos municipios, porque as pessoas assim o querem, porque o trabalho é apreciado e efectivado com aprovação através do seu voto! Que eu saiba os municipios foram criados para haver mais descentralização e maior aproximação dos autarcas de acordo com as necessidades das populações. Se estes estão mais perto do seu eleitorado, então o eleitorado é que decide!

Então os mandatos do 1º Ministro também terão que ser limitados. Assenta na mesma lógica, certo?! E não me venham com argumentos como o cargo de 1º Ministro é mais importante, porque honestamente é um argumento de treta!

Não entendo o motivo que tenha levado à proposta desta medida, mas enfim...
Se a tentativa é evitar que hajam mais "Albertos Jardins" espalhados por este Portugal afora, não creio que esta seja a forma. Esquecem-se que "Ele" está lá porque a contagem dos votos dá-lhe a vitória! Independentemente de se simpatizar com a pessoa ou com o político que é...

Todavia, em conversa com amigos e alguns familiares parece-me que estão todos ou quase todos a favor da implementação da medida. Por isso como dizia Jean-Jacques Rousseau a vontade geral e a soberania popular são o mais importante, uma vez que a vontade da maioria é considerada infalível dado que a maioria tem sempre razão. Consequentemente a minoria está necessariamente errada. Neste caso repesento a minoria, mas continuo a achar que tenho razão!

 
Free Web Site Counter
Hit Counter